TV PIBCI

DOMIMGO - 09:40hs e 18:30hs

QUARTA - 19:00hs

CULTOS GRAVADOS

Cantando e Adorando

10.08.2017

Vem, Assim Como Estás Para Adorar!?

Jesus, em sua busca por verdadeiros adoradores, estabelece seus critérios para uma adoração eficaz; que seja em espírito (não precisamos estar condicionados ao tempo e espaço) e em verdade (Jesus é a verdade e, adorar genuinamente pressupõe reconhecimento do alvo de nossa adoração). Assim como os pecadores foram destituídos da glória de Deus e passaram à condição de trevas, todos os homens alienados de Deus igualmente tornaram-se mentirosos. Ao dizer que todos os homens são mentirosos, Paulo não estava se referindo a um tipo específico de conduta reprovável pela moral humana. Paulo fez referência à natureza humana decaída herdada de Adão. Deus é luz, e todos quantos não estão em Deus são trevas. Deus é verdadeiro, e todos quantos não são participantes da sua natureza são mentirosos. Do mesmo modo que a injustiça dos homens contrasta com a justiça de Deus, a mentira dos homens contrasta com a verdade de Deus.

 

Podemos então adorar o que não conhecemos? A resposta é não! Quando contemplamos os feitos do Criador, a natureza, e vemos que a mão de Deus esculpiu cada detalhe, nos extasiamos diante de tão majestosa criação, porém, a mais bela paisagem natural é incapaz de se comparar a majestade e grandeza do grande Eu-Sou. Nossa adoração pode se tornar idólatra e equivocada quando desviamos o foco de Deus. Podemos sim, ver a mão de Deus em coisas, em eventos extraordinários, mas Deus não se resume em coisas, não se resume em eventos, não se resume em milagres. O teólogo A. B. Langston, assim define Deus: “DEUS É ESPÍRITO PESSOAL, PERFEITAMENTE BOM, QUE, EM SANTO AMOR, CRIA, SUSTENTA E DIRIGE TUDO”.

 

Adorar é reconhecimento. Quando entendemos que somos limitados, falhos, mortais, incapacitados, pobres, nus, ou seja, totalmente esvaziados de nós mesmos, e reconhecemos que Deus em seu santo caráter é ilimitado, infalível, imortal e soberano sobre todas as coisas, a adoração está ao nosso alcance.

 

Adoração não é um espaço na vida de um crente. Não reservamos um tempo para adorar. Adoração é vida. Adoração e vida caminham juntas. Adorar a Deus é caminhar com Deus e, aqueles que caminham com Deus refletem uma vida totalmente contrária às regras, normas e características impostas por nosso século.

 

Adorar a Deus não é chegar diante dele de qualquer maneira, mas sim, conscientes de quem somos, conscientes dos nossos atos, conscientes da nossa condição; homens e mulheres necessitados das misericórdias de Deus que, como um Pai amoroso e gracioso, se compadece de nós, nos ouve em nossos lamentos, nos ensina e nos corrige em nossas falhas.

 

 

 

Fabiano Rocha

Ministro de Adoração e Artes