TV PIBCI

Artigos / Questão de Saúde


Diabetes: O vilão dos Dias Atuais

Por André Neves

 

 

O objetivo desse texto é informar, de maneira simples, sobre o diabetes, uma doença grave e comum nos dias de hoje.

 

O que é diabetes?

Trata-se de uma doença metabólica caracterizada por hiperglicemia (açúcar alto no sangue) e suas complicações agudas como cetoacidose diabética e crônicas como nefropatia diabética (rins lesados após anos de descontrole da doença).

 

Diabetes pode cursar com hipoglicemia?

Sim! É contraditório dizer que um diabético possa ter níveis de glicemia abaixo do normal. Contudo, essa é uma complicação aguda grave que acontece frequentemente, principalmente nos diabéticos do tipo 1 que fazem o uso indevido da insulina. Por isso, é necessário que estes pacientes andem sempre com um alimento doce na bolsa para que comam e combatam de imediato a hipoglicemia, cujo os sintomas são:  palpitações, tremores, ansiedade, suor frio...

 

Quais são os fatores de risco para o diabetes?

História familiar, hipertensos, colesterol alto, sedentarismo, mulheres diagnosticadas com diabetes gestacional, excesso de doces, frituras e produtos industrializados no geral, entre outros.

 

Quais são os tipos e os sintomas de diabetes?

Existem basicamente dois tipos de diabetes. O tipo 1 que é caracterizado pelo uso da insulina e é mais comum em crianças, adolescentes ou adultos jovens e o tipo 2 no qual se usam os hipoglicemiantes orais rotineiramente sendo mais comum em adultos a partir dos 40 anos com sobrepeso/obesidade.

 

Sintomas do tipo 1: Vontade frequente de urinar, fome excessiva, sede excessiva, emagrecimento, fraqueza, fadiga, nervosismo, mudanças de humor, náusea e vômito.

 

Sintomas do tipo 2: diabetes tipo 2 não apresentam sintomas iniciais e podem manter a doença assintomática por muitos anos. Fome excessiva, sede excessiva, infecções frequentes, feridas que demoram para cicatrizar, alteração visual (visão embaçada), formigamento nos pés e furúnculos.

 

Como diagnosticar diabetes?

Existem basicamente 4 formas de diagnosticar a doença:

 

A)Glicemia de jejum  ≥ 126

 

            ou

 

B)TOTG-75(2H)  ≥ 200

 

            ou

 

C)Hemoglobina Glicosilada  ≥6,5%

Esses três exames acima devem ser repetidos para que seja dado o diagnóstico. Se feitos apenas uma vez, não se pode afirmar que a pessoa é diabética.

 

D)Glicemia casual  ≥ 200 associada a sintomas típicos

 

Como tratar?

O médico especialista em diabetes é o endocrinologista. Conforme já foi dito, a base do tratamento do tipo 1 é a insulina enquanto a do tipo 2 são os hipoglicemiantes orais. Entretanto, para completa adesão ao tratamento, apenas as medicações não são suficientes. É necessário que o paciente adote um estilo de vida saudável com relação  a alimentação e prática regular de atividades físicas. Muito comum de ouvir no consultório: ''Doutor, eu quase não como doce''. Infelizmente, devido a falta de informação, o paciente pensa que não come doce, mas quando se pergunta como são as refeições o paciente refere comer muito macarrão, arroz, pão...alimentos que alteram bastante os níveis de glicose no sangue. Sendo assim, é fundamental a ida ao endocrinologista e ao nutricionista.

 

Diabetes tem cura?

Não! Diabetes tem controle! É possível levar uma vida normal com a doença apenas cortando os excessos e seguindo as orientações de profissionais capacitados.

 

 

 

 

André Costa dos Santos Neves é Médico

 

andrecsneves@gmail.com

(28) 3522-0419

Avenida Beira Rio, 93 - Guandu - Cachoeiro de Itapemirim - ES

© Primeira Igreja Batista de Cachoeiro de Itapemirim. Todos os direitos reservados.

 

Produção / Cadetudo Soluções Web